21/08/2007

Com ou sem cerveja

Bastava-nos amar. E não bastava
o mar. E o corpo? O corpo que se enleia?
O vento como um barco: a navegar.
Pelo mar. Por um rio ou uma veia.

Bastava-nos ficar. E não bastava
o mar a querer doer em cada ideia.
Já não bastava olhar. Urgente: amar.
E ficar. E fazermos uma teia.

Respirar. Respirar. Até que o mar
pudesse ser amor em maré cheia.
E bastava. Bastava respirar

a tua pele molhada de sereia.
Bastava, sim, encher o peito de ar.
Fazer amor contigo sobre a areia.


Joaquim Pessoa



The Kooks - Seaside

15 impressões:

estrelita disse...

muito bonito...não conhecia obrigada

Elsita disse...

Pá! Gostei! E pode ser com uma sagres lima light, que a pança já é grande!

xa das 5 disse...

poema lindo e a música é uma delícia

naestranja disse...

o poema é mais sobre o amor mas eu já tenho saudades do mar de Portugal e só voltei ontem...vir até aqui vai ajudando a suportar esta américa louca...obrigado

Paulo F disse...

cade as bojecas?????? hahahsh.........tassebem

MsBambi disse...

Mais um poema lindissimo :0)

nela disse...

curioso, hoje deixei um post sobre o mar que tinha escrito há uns meses atrás, se bem que o mar e o amor confundem-se no poema de Pessoa... mar, amar... continuo a pensar que a escolha dos poemas indiciam alguma tristeza, será?
um abraço

milka disse...

sigo visitándote y me encantó...me gusta la poesia portuguesa bikos

Teté disse...

Já vi de onde te vem a tua onda...

Mas francamente, gostei muito!

Gosto sempre de boas ondas...

cybermoon disse...

pode ser com cerveja faxfavor LOL

j.fortunado disse...

para mim a esta hora só café haha não conheço muito bem Joaquim Pessoa,gostei bastante

ze dos blogs disse...

mais um grande poeta mais uns minutos bem passados
abraço

Kátia disse...

Huuumm não lembro de ter lido algo desse autor,mas o escrito me parece familiar...dejà vu será?
Não sei...
Vou deixar algo.Estou inspirada e vou aproveitar.

***
OS POEMAS

Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo como de um alçapão.
Eles não têm pouso nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,no maravilhado espanto de saberes que o alimento deles já estava em ti...

Mário Quintana
***
Este parece com você :)
Gostei de tudo hoje por aqui.
Beijo e Cheiro!

Vanessa Lourenço disse...

What are you lacking my bright knight? your genius is boiling, where is the love? what are you lacking? may I give you a horse so you can find?...let me know...just let me know...*

Fieldbrad disse...

...Boa música...The Kooks.



[[]]