20/05/2007

A manhã vai nascer em breve

E lembrei-me de uma outra manhã, em Bantoli, no Jharkhand. Resolvi fazer um post, por gulodice: as gotas de cor que caíram nesse dia eram feitas do mesmo ar que saboreio de momento e apeteceu-me prolongar a refeição, antes de ir dormir.




Que ar? Um ar que é o mesmo lá, na Austrália, aqui no Porto ou noutro lugar qualquer. Um ar que deixa o coração quente e a alma desperta. O ar de quem pára e respira e repara que a Vida é algo de muito precioso, muito mágico. O ar que me faz sentir muito pequenino e grato. E livre.

É sob a influência desse ar que postarei. Ao acaso. Sem rumo. Postarei, postarei, até que o blog me doa.




Nesse ar os "porquês" param. Existem apenas respostas que clareiam e divertem o Olhar, que resolvem perguntas que não chegaram sequer a ser formuladas. Porque não podiam ser formuladas... Ou acreditam que a imaginação humana é realmente ilimitada? Eu não. Ora vejam:
Se estiver muito calor e tiverem muita sede - a boca já desértica, o oásis da saliva há muito seco - e se olharem para uma garrafa de água (pode ser de litro) e imaginarem que a estão a beber, acham que a sede vai passar? Pois... A imaginação é finita e por si só não existe. Tal como a escuridão:

Um dia, alguém foi contar ao Sol que a Noite estava muito zangada porque, sempre que ele aparecia, ela tinha que partir, tirando-lhe assim o direito a existir. Não fosse ter pele sensível e o médico ter-lhe pintado um quadro negro quando lhe diagnosticou apetência para contrair enxaquecas por alturas do verão e ela já teria ido, pessoalmente, tirar satisfações. O Sol ficou apenas surpreso e disse: "Quem é a Noite? Não conheço. Nunca a vi."

Moral da história? Não tem... É uma evidência. Mas posso arranjar uma, não vá alguém insistir. Que tal: "Não vires o rabo na noite, a aurora pode dar-te um açoite"? Como rima, pode ser que evolua para provérbio popular; e quem viver com alguém do mesmo nome pode ficar precavido...





Como me deu vontade de começar, agora deu-me vontade de acabar. Soube bem, obrigado.

Desculpem não ter tido a mínima intenção de fazer sentido ou tirar alguma conclusão; de fazer boas associações ou comparações esclarecedoras; de começar algo ou continuá-lo com coerência. Não perderam nada. Os pensamentos, afinal, não passam de uma colecção de cromos velhos que assumimos como originais e - pior - acreditamos que é isso que somos. E lá vamos continuando a trocar ideias, muitas ideias, convencidos que há perspectivas novas que ainda não temos no álbum... É uma doença que pode durar uma vida inteira e não ter cura. Protejam-se.


Pronto, por hoje já brinquei aos posts. Uma manhã boa. Respirem a Vida.




"Se não podes estar contente com uma respiração, ainda não começaste a viver…"
Maharaji


8 impressões:

Vanessa Lourenço disse...

Invadi o teu blog, desde já peço desculpa; Não posso, porém, ignorá-lo porque me encheu de alguma forma...
Posso simplesmente dizer que, gostei, obrigada.

naestranja disse...

gostei de ler parabéns! k ker dizer vasant utsav?

Vera disse...

A-ha!
Já consigo... és muito pedagógico, mesmo com sono! ;-)

Tulipa Branca disse...

Ainda bem que estou um dias sem net lá em casa...que bom ler isto pela manhã!Posso entregar o donativo hoje? ;)

Luis Saraiva disse...

WOWZERS vou renovar a proposta do ano passado ^5 (os links já funcionam vai lá ver OBRIGADO pelo 'improvisation')

eduardo jai disse...

Vanessa - Invade sempre que quiseres, my pleasure. Já fiz um voo de reconhecimento pelo teu, também. :)

naestranja - Obrigado pela visita. Em breve faço um post sobre os vários sentidos de "Vasant Utsav". ;)

Vera - Tu és muita kind, muita kind... weeeeeeeeeeeee :)

Joana - Para ti o "banco de doações" está sempre aberto. :))

Luis - De nada e... já vi. nicey nicey ;)

Vanessa disse...

Ola, o kiss deveras não era para norte mas sim para sul =) de qualquer maneira obrigada por teres passado e espero que passes mais vezes sempre com os meus agradecimentos. Obrigada pelo comentario da escrita e ficas também com mais uma fã.
Já agora, estudo jornalismo e o bichinho da curiosidade vive dentro de mim...qual história de nome interessante? La Japonaise também tem história...talvez um dia as partilhemos...beijo*

Kátia disse...

Adorei a "chuva azul" com pétalas de rosas...
Muito massa essa foto! Ah!não fiz o blog conforme as instruções...Eu tinha 3 e não dei conta e já agora tenho apenas um e tá sendo um tanto difícil,devido as várias'ocupações' que volta e meia eu desempenho.Também queria saber o significado do 'vasant' conforme já foi mencionado.No mais...sempre que der estarei a espreitar sua incursão bloguiana portuguesa concerteza!
:D
Beijo!